Portal da Cidade Lucas do Rio Verde

MENTIRA

Venda de leite reprocessado na cidade é mentira, diz Ministério da Agricultura

Boato se espalhou na região Lucas do Rio Verde através de grupos de redes sociais.

Postado em 30/09/2019 às 18:11 |

Boatos sobre a comercialização de leite reaproveitado em supermercados de Lucas do Rio Verde são mentira, diz Ministério da Agricultura (Foto: Reprodução)

Após receber denúncias de que leite reprocessado estaria sendo comercializado em Lucas do Rio Verde e região, a equipe de jornalismo do Portal da Cidade entrou em contato com órgãos de fiscalização do estado e do Governo Federal, para saber se tais informações eram procedentes.

A denúncia

De acordo com as informações repassadas em grupos de conversa e redes sociais, as empresas de laticínios estariam reaproveitando leite e derivados recolhidos das gôndolas dos supermercados que já teriam ultrapassado de seu prazo de validade e, através de processamento químico, colocando-os novamente à venda, como produto fresco. O indicativo para os produtos reaproveitados, dizem as denúncias, seriam pequenas barras coloridas estampadas no fundo das embalagens de cada produto.

Desmentindo

No entanto, em resposta a uma solicitação do Portal da Cidade, a Secretaria de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura informa que esta informação é falsa. Conforme a nota, as cores e números impressos no fundo das embalagens são apenas indicativos do controle de qualidade da impressão usados pelo fabricante das embalagens e nada têm a ver com o produto armazenado. Além disso, conclui a nota, caso alguma indústria de laticínios estivesse realizando o dito reaproveitamento, estaria incorrendo em crime: “de acordo com as normas técnicas e de inspeção vigentes no Brasil, a prática de reaproveitamento aos moldes da referida denúncia é passível de sanções legais”.

A Tetra Pak, fabricante das embalagens, chegou a publicar um vídeo na internet (clique aqui para assistir) desmentido o boato e afirmando seu compromisso com a qualidade de seus produtos, com a saúde pública e com o meio ambiente.


Fonte:

Deixe seu comentário