Portal da Cidade Lucas do Rio Verde

VIDA

Dra. Cleusa Schwarz: “Ser obstetra é participar da vida da família para sempre”

Médica comenta que há meninas que ela ajudou a nascer e que hoje, 18 anos depois, já são suas pacientes.

Postado em 19/06/2019 às 15:36 |

Segundo médica, "ser obstetra proporciona participar da realização do sonho do nascimento de uma nova família" (Foto: Portal da Cidade)

Há 18 anos atuando em Lucas do Rio Verde, a médica Cleusa Maria Schwarz recebeu o jornalismo do Portal da Cidade e contou como foi tomada a decisão de mudar-se, juntamente com seu marido, também médico, para Lucas do Rio Verde.

Fundadora e gestora da Clínica da Mulher na cidade, a Dra. Cleusa Schwarz é especializada em ginecologia e obstetrícia, além de ter cursado ultrassonografia.

Ser obstetra

Segundo ela, desde o segundo ano da graduação em medicina, cursada em Curitiba-PR, já houve um encanto pela ginecologia e pela obstetrícia, principalmente pela proximidade com o momento de surgimento de uma nova vida que as duas especialidades proporcionam.

“Ser ginecologista e obstetra é participar da vida da família desde o começo da gestação. Esta especialização proporciona um momento de partilha, com o casal, do sonho de ter um filho, do nascimento ou crescimento de uma família [...] pois mesmo que se passem 30 ou 40 anos, as recordações reportarão à médica que contribuiu para que aquele novo ser viesse ao mundo”.

Ela comenta ainda que, pelo tempo que já vive com seu esposo em Lucas do Rio Verde, já tem a oportunidade de atender moças em seu consultório que ela própria fez o parto: “eu já atendo moças de 16, 17 e 18 anos que eu fiz o parto e que hoje são minhas pacientes. Já é uma segunda geração de mulheres que já começam uma relação de confiança com a ginecologista [...] e é isso que faz com que eu me sinta tão gratificada pela profissão que escolhi”.

Lucas do Rio Verde

A escolha por Lucas do Rio Verde como lugar de moradia e espaço profissional, conta a Dra. Cleusa, foi feita em conjunto com seu marido, o também obstetra André Luiz Thumé:

“Nós não queríamos permanecer em Curitiba, pois sempre pensamos em viver em uma cidade menor. Escolhemos Lucas do Rio Verde porque já tínhamos parentes morando aqui e porque recebíamos referências muito boas da região, tanto sob o aspecto econômico quanto na qualidade de vida oferecida. As perspectivas eram muito boas e, graças a Deus, todas elas se concretizaram”.


Fonte:

Deixe seu comentário